sexta-feira, 30 de junho de 2017

RELEITURA DA OBRA "O GATO" DE ROMERO BRITTO – 3º01 E 3º03


As turmas 3º01 e 3º03 da Professora Silvana Cilene Stinghen Maenchen na aula de Arte, fizeram a releitura da obra “O gato” de Romero Brito. Segundo a professora a ela objetivou oportunizar as crianças na roda de conversa a explanação acerca desse animalzinho estimado por muitas pessoas dentro das suas casas. Mostrou à eles a obra "O Gato" do artista Romero Britto para que apreciassem as técnicas de desenho e pintura que esse artista utiliza: pontos, linhas, texturas, dobradura, formas geométricas e cores. 
O artista foi escolhido não só pela alegria que expressa, através das cores e formas geométricas em suas obras como também para favorecer a capacidade de "ler o mundo" com sensibilidade e criatividade ao identificar e explorar os elementos que fazem parte de seu entorno. O gato foi feito de dobradura e os alunos escolheram as cores e linhas à serem utilizadas, segundo o estilo do artista passaram a expressá-lo de forma artística, inspirando-se nas imagens do artista, manifestando sua criatividade.
Romero Britto - O artista da Alegria!!!

(Texto: Professora Silvana Cilene Stinghen Maenchen, contribuições Mari Camara - Coordenadora Pedagógica)

quinta-feira, 29 de junho de 2017

ESCOLINHA DE ATLETISMO

A Secretaria Municipal de Cultura, Esporte e Laser de Jaraguá do Sul abre inscrições para aulas de Atletismo (gratuitas). As aulas serão ministradas na Pista de Atletismo do Centro Esportivo Municipal Murillo Barreto de Azevedo, localizada na rua Francisco Hhuscka, bairro São Luis.
Serão atendidos crianças entre 09 e 15 anos, o início das aulas está previsto para dia 03 de julho próxima segunda-feira. As aulas acontecerão nas segundas, quartas e sextas-feiras, no período matutino às 8h30min até 10h e no período vespertino às 14h30min até 17h. Professores responsáveis: Caius, Áureo, Dilnei, Ezequiel e Cleberson. Dúvidas podem ser esclarecidas pelo fone (47) 3374-1008.
Alunos da EMEB Renato Pradi interessados, procurem a secretaria da escola e solicite o convite para que os pais e/ou responsáveis possam autorizar a sua participação.
(Texto: Mari Camara - Coordenadora Pedagógica)

quarta-feira, 28 de junho de 2017

XIX OLIPRADI - “MAIS RESPEITO ÀS DIFERENÇAS, MENOS INTOLERÂNCIA”

A OLIPRADI - Olímpiada Interna da EMEB Renato Pradi, chega na sua 19ª edição. Neste ano com o tema: “Mais respeito às diferenças, menos intolerância”. Desde a sua primeira edição em 1998, um dos principais objetivos da Olipradi é promover o bom relacionamento entre os alunos, professores, funcionários e equipe gestora da escola, bem como, estabelecer um elo entre o esporte e a educação, fortalecendo hábitos e valores na formação da cidadania dos alunos. 

A Olipradi é uma competição que acontece de 6º ao 9º ano, visando promover uma competição desportiva como forma de integração e socialização entre as turmas. Neste ano, buscando resgatar e fomentar atitudes individuais e coletivas contra o preconceito e a intolerância, e a favor do respeito as diferenças. Na Coordenação Geral da XIX OLIPRADI está o Professor de Educação Física Cezar Augusto Carneiro de Oliveira e a Coordenadora Pedagógica Marcia Cristina de Paiva Silva, além, dos demais professores de Educação Física da escola que dão todo o suporte à competição.
A OLIPRADI terá 2(duas) categorias participantes:
a) 6º e 7º ano
b) 8º e 9º ano
A OLIPRADI é dividida em modalidades definidas pela escola, nesta edição serão 4 : vôlei, tênis de mesa, basquete e futsal.
Com início no dia 06 de julho (5ª feira), as 7h45min, no ginásio de esportes da escola. Neste dia acontecerá o cerimonial de abertura com: Desfile das equipes; Entrada das Bandeiras; Execução do Hino Nacional; Juramento do atleta destaque da EMEB Renato Pradi; Condução da tocha e Declaração de Abertura da XIX OLIPRADI. Na sequencia começam os jogos, sendo: 06/07 (5ª feira) - vôlei e tênis de mesa, 07/07 (6ª feira) - basquete e no dia 08/07 (sábado) - futsal.

No dia 08 (sábado) haverá venda de lanches, confira: pizza brotinho: R$3,50 (sabores: calabresa, frango e chocolate preto). Refrigerante(copo de 200ml): R$2,00. Moreninha ou sundae: R$3,50, Salgadinho: R$1,50. “Combo 1” pizza+ copo de refrigerante: R$5,00. “Combo 2” 3 pizza: R$10,00. Vendas antecipadas a partir de 29 de junho, na sala da administração da escola. Maiores informações em http://renatopradi.com.br/
(Texto: Mari Camara - Coordenadora Pedagógica)

terça-feira, 27 de junho de 2017

ACORDEON, GAITA OU SANFONA – INSTRUMENTO PRINCIPAL DAS MÚSICAS DE FESTAS JUNINAS



Nas aulas com a professora de Música Bruni Hübner Schwartz as turmas de 1º e 2º anos tiveram o contato com um instrumento musical muito popular na região nordeste do Brasil. O Acordeon, Gaita ou Sanfona como é chamado popularmente no Brasil, é um instrumento musical aerofone. O som do acordeon sai através do ar que entra pelos foles do instrumento. Este instrumento foi popularizado no Brasil na região do Nordeste do Brasil através do cantor e compositor Luiz Gonzaga Ayroso.

Luiz Gonzaga Ayroso (1912-1989) foi músico brasileiro. Sanfoneiro, cantor e compositor, recebeu o título de "Rei do Baião". Baião é um Gênero musical muito difundido no Brasil e mais enfatizado no mês de junho, época das festas juninas quando as músicas são utilizadas para a dança da quadrilha que possuem o acordeon como instrumento principal nas melodias. Foi responsável pela valorização dos ritmos nordestinos, levou o baião, o xote e o xaxado, para todo o país. A música "Asa Branca" feita em parceria com Humberto Teixeira, gravada por Luiz Gonzaga no dia 3 de março de 1947, virou hino do nordeste brasileiro. Com este tema, os alunos puderam sentir e experimentar de perto este instrumento tão popular e porque não curioso por todos.

(Texto: Professora Bruni Hübner Schwartz, colaboração de Mari Camara - Coordenadora Pedagógica)

RELEITURA DA OBRA "AS BANDEIRINHAS", DE ALFREDO VOLPI - PRÉ I

Dentro do Projeto “Festa Junina”, as turmas de Pré I da escola desenvolveram diversas atividades, uma delas que as crianças gostaram muito foi a releitura da obra “As bandeirinhas” de Alfredo Volpi.

Alfredo Volpi foi artista plástico ítalo-brasileiro e é considerado um dos principais artistas da Segunda Geração da Arte Moderna Brasileira. Ganhou destaque com pinturas representando casarios e bandeirinhas de festas juninas. Esta atividade foi desenvolvida pelas turmas Pré I 02 e 04 da professora Sonia Venceslau.


Releitura da obra "As bandeirinhas" feita pelos alunos.
Eloísa de Oliveira Cerkal, Gabriela Vieira da Silva,
Isabely Leite Motta e Anttony Gabriel Vierne.

Uma outra atividade bem significativa e que contou com a parceria das famílias dos alunos foi a "confecção de bandeirinhas". Utilizando-se de muita criatividade e capricho, cada aluno junto com sua família confeccionou lindas bandeirinhas para enfeitar a nossa quermesse. Esta atividade foi desenvolvida pelas turmas do Pré I 01 e 03 da professora Joyci Santos de Lara e também pelas turmas Pré I 02 e 04 da professora Sonia Venceslau. Nossos agradecimentos pela participação dos pais. Parabéns as professoras e alunos.
Bandeirinhas feita pelo aluno e sua família.
 Enzo Milbauer Alves, Valentina Anacleto Sabel e Davi Henrique de Oliveira Peixer.
(Texto: Mari Camara - Coordenadora Pedagógica)

sexta-feira, 23 de junho de 2017

QUERMESSE

No dia de hoje(23), as turmas de Pré I, Pre II e 1º anos socializaram as atividades desenvolvidas com o projeto “Festa Junina”, realizamos uma “quermesse”.

Mas afinal, o que é uma “quermesse”?

Quermesse é um substantivo feminino oriundo do termo flamengokerkmiss. O seu significado está diretamente relacionado a festa beneficente ou eventos caritativos e promovidos com fins tanto de ajudar em obras de caridade quanto a promover eventos com fins de lazer e diversão.



A quermesse é uma festa beneficente realizada, geralmente, ao ar livre. Nela é comum haver bazar através do qual é feito leilão de objetos que são doados com fins de caridade, ou seja, sem fins lucrativos.


As quermesses estão intimamente relacionadas com as festas juninas, onde existem muitas brincadeiras para crianças. Devido a possibilidade de as quermesses serem realizadas por diversos tipos de pessoas, independente de suas crenças religiosas, hoje em dia é comum se ouvir dizer de quermesses como sendo eventos ligados a festas juninas, festas populares ou até mesmo eventos relacionados à gastronomia.
Quanto se trata de quermesse em festas juninas, aproveita-se o cenário do local com a presença de muitas crianças, brincadeiras e diversos tipos de público que se encontra para festejar, sendo assim mais provável de conseguir sucesso durante esse programa cultural ligado a festas populares.


Para a realização desta socialização contamos com o apoio de diversas pessoas, entre elas, as professoras e alunos que fizeram um prato típico de festa junina, as merendeiras da escola, os pais dos alunos enviaram para a escola: paçoca, pé de moleque, teta de nega, mandolate, suspiro, sorvete seco, pipoca, etc... Ainda, as serventes, alunas monitoras e demais funcionários. A quermesse foi muito divertida, com apresentação de cantigas de festa junina e muita comilança. 
Turmas do Matutino
Turmas do Vespertino

Parabéns a todos os envolvidos, nossos sinceros agradecimentos as famílias que contribuíram para o sucesso deste evento. Quer ver todas as fotos? 
Clik: MATUTINO -  VESPERTINO

(Texto: Mari Camara - Coordenadora Pedagógica)


quinta-feira, 22 de junho de 2017

PRÉ ESCOLA E 1º ANOS PREPARAM COMIDAS TÍPICAS DE FESTA JUNINA


As turmas de Pré I, Pre II e 1º anos estão desenvolvendo um projeto com o tema “Festa Junina”. Entre as atividades desenvolvidas, uma delas era fazer uma comida típica de festa junina. Hoje foi o grande dia de "mestre cuca" na escola. As turmas de Pré I, fizeram uma nega maluca, os Pré II, fizeram bolo de fubá e pãezinhos e os 1º anos fizeram canjica. Amanhã (23), acontecerá a socialização, faremos uma “quermesse”. As quermesses estão intimamente relacionadas com as festas juninas, onde existem muitas brincadeiras para crianças.

Além das comidas típicas feita pelos alunos e professoras, os pais dos alunos enviaram para a escola: paçoca, pé de moleque, teta de nega, mandolate, suspiro, sorvete seco, pipoca, etc... Nossos sinceros agradecimentos às famílias, que sempre nos auxiliam e contribuem com a escola. 

As Festas Juninas são celebradas ao longo do mês de junho e julho. Elas começaram nos campos e plantações originando os trajes típicos de caipiras e sinhazinhas, com casamento de roça, discurso do padrinho, as capelinhas decoradas etc.

A fogueira fica em evidência na festa e é rodeada por lanternas e bandeirinhas formando o típico ambiente de arraial.


As Festas Juninas têm por objetivo principal homenagear três santos: Santo Antônio, São João e São Pedro. Ao longo dos anos, cada região do Brasil comemora de um jeito diferente as festas juninas ou julianas de suas cidades, mas o que importa é o ingrediente principal: a alegria.

Hoje, as festas juninas são entendidas como uma oportunidade para juntar os amigos e a família e se divertir! Para entrar no clima da festança os participantes da festa se vestem a caráter. 

Os homens costumam usar camisa xadrez, calça jeans com retalhos coloridos como se fossem remendos, lenço no pescoço, chapéu de palha, bota e um bigode caprichado desenhado com lápis de pintar os olhos.
Já as mulheres usam vestidos de estampas florais com babados e rendas, cabelo dividido em duas tranças e amarrado com fita, chapéu de palha, meia calça colorida, sapato, batom de cor viva e sardas desenhadas na bochecha com lápis de pintar os olhos.
                                


Confira todas as fotos no álbum "Comidas Típicas de Festa Junina - 2016".

terça-feira, 20 de junho de 2017

EMEB RENATO PRADI DIVULGA CLASSIFICADOS PARA A 2ª FASE DA OBMEP

A Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (OBMEP) é uma realização do Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada – IMPA, com objetivo de estimular o estudo da matemática e revelar talentos no Brasil. Atualmente, está em sua 13º edição e com mais de 20 milhões de participantes, é a maior Olimpíada de Matemática do mundo.

A OBMEP é dividida em duas fases.

1ª Fase: Aplicação da prova objetiva, de 20 questões, em cada escola inscrita. A correção é feita pelos professores das próprias escolas, a partir das instruções e gabaritos elaborados pela OBMEP. 


2ª Fase: Prova discursiva contendo entre seis e oito questões, aplicada em centros deaplicação indicados pela OBMEP. Participam dessa Fase apenas os 5% dos alunos em cada Nível que obtiveram melhor pontuação na 1ª Fase.
A EMEB Renato Pradi participou da 1ª fase, realizada em 06 de junho e divulga o nome dos alunos classificados para a 2ª fase. 

São eles: Ricardo Stinghen (6º02), Gabriel dos Santos Bollauf (6º03), Leonardo Giuseppe de souza Rafaelli (7º01), Matheus Ferreira da Silva (7º01), Stephany Sofia Valle (7º01), Thauana Sabrina Maresana (7º01), Kimmori Oliveira Figueiredo (7º03), Fernanda Luiza Felipi (7º04), Heloísa Maria Meurer (7º04), Lívia Maria Fanhani Stralioti (7º04), Patrick Gelsleichter Moreira (8º01), Felipe Rodrigues Antonio (8º02), Caio Murilo de Oliveira Peixer (9º02), Guilherme Hillesheim da Silva (9º02), Luis André Maciel Ganassoli (9º02), Rafael Laguna (9º02) e Sthefany Karoline Baehr (9º02).

Parabenizamos aos alunos que se classificaram para a 2ª fase da Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas – OBMEP 2017.

Convidamos todos a visitar a página da OBMEP para obter arquivos com material didático produzido pela OBMEP, informações sobre o Programa de Iniciação Científica Jr.  (PIC)(direcionado aos medalhistas) e também informações gerais sobre a Olimpíada.

(Texto: Mari Camara - Coordenadora Pedagógica, colaboradora Marcia Cristina de Paiva Silva - Coordenadora Pedagógica - 6º ao 9º ano)

quarta-feira, 14 de junho de 2017

TEATRO COM BONECOS NA PRÉ ESCOLA


Professora Sônia Bertoli
A professora Sônia Bertoli está desenvolvendo nas turmas Pré II 01 e 03 um projeto cujo o tema é “Teatro com bonecos”. O principal objetivo é promover a imersão das crianças nas diferentes linguagens e o progressivo domínio por elas de vários gêneros e formas de expressão: gestual, verbal, plástica, dramática e musical.

Professora Sônia apresentando o teatro com bonecos aos alunos.







Segundo a professora Sonia atualmente encontramos muitas crianças com dificuldades de atenção e é muito difícil conseguir que escutem uma história ou mesmo concentrem-se durante as atividades. Os bonecos de feltro utilizados para o teatro foram confeccionados pela professora Sônia.



Alunos Kauê contando a história
e Michelly manipulando os personagens.



O projeto “Teatro com Bonecos” contribuirá de forma lúdica para que as crianças sejam capazes de ativar a capacidade da fantasia, ajudará tanto na capacidade de escutar como a de se expressar, bem como, estimular a concentração e a atenção.






Ainda, segundo a professora Sônia, o envolvimento dos alunos no projeto é visível. Nos momentos do teatro já se percebe maior concentração e atenção, e após a apresentação da professora sempre há uma disputa entre as crianças para recontar a história. O projeto teve início no mês de maio e continuará durante todo o ano. 




(Texto: Mari Camara - Coordenadora Pedagógica, contribuíções professora Sônia Bertoli)

segunda-feira, 12 de junho de 2017

EMEB RENATO PRADI COMEÇA A INSTALAR COMPUTADOR E MULTIMÍDIA NAS SALAS DE AULA

EMEB Renato Pradi começa a instalar computador e multimídia nas salas de aula. O coordenador do curso de Aprendizagem Industrial em Suporte e Manutenção de Microcomputadores e Redes Locais, do SENAI de Jaraguá do Sul, Roberto Baumgartel, acompanhado de Ronaldo Coser, Juliane Bento e Marcos Andre Marasco realizaram a entrega de seis computadores na quinta-feira (08), para a diretora da escola Ligia Helena Braun. 


A escola solicitou a doação dos computadores por meio do projeto Inclusão Digital, à WEG, que em parceria com o SENAI recicla os computadores que estão em desuso na empresa. Os projetores a escola havia comprado com recursos do PDDE (Programa Dinheiro Direto na Escola) do governo federal.

Estas máquinas foram montadas e revisadas por alunos do curso de Aprendizagem Industrial em Suporte e Manutenção de Microcomputadores e Redes Locais, do Senai de Jaraguá do Sul, o projeto visa recolher os equipamentos que não estão mais em uso nas empresas, e através dos alunos do curso de Aprendizagem Industrial em Suporte e Manutenção de Microcomputadores e Redes Locais realizar a manutenção dos equipamentos para serem devolvidos a sociedade.

Agradecemos imensamente a empresa WEG, bem como, o SENAI de Jaraguá do Sul.


(Texto: Mari Camara - Coordenadora Pedagógica)

quinta-feira, 8 de junho de 2017

NOSSO RECREIO FICOU MAIS DIVERTIDO: ESPIROBOL FAZ SUCESSO EM NOSSA ESCOLA!

A escola montou quadras de Espirobol, o objetivo é proporcionar aos alunos uma atividade saudável na hora do intervalo, estimulando o convívio social, o respeito às regras do jogo e aos colegas, assim como valorizar esta atividade recreativa praticada na escola. Para alguns, um esporte. Para a maioria, uma brincadeira. O certo é que o espirobol é uma diversão garantida para todas as idades. Também conhecida por espiribol e apelidada de “pipocão” em algumas regiões do país, a modalidade é praticada em ruas, escolas, clubes, condomínios, campings, praias e parques.

Nosso recreio ficou mais divertido: espirobol faz sucesso em nossa escola!”, afirma a diretora da escola Ligia Helena Braun.

HISTÓRIA DO ESPIRIBOL

O jogo de Espirobol nasceu nos anos 20, na localidade Granadina de Lanjarón (Espanha). D. Baltasar Fábregas, militar de profissão e jardineiro de vocação é considerado o pai do espirobol. Durante todos estes anos, a prática do espirobol não saiu da esfera familiar e popular. Quase 80 anos depois, a criatividade, o alto grau de motivação e diversão que caracterizam o jogo fez com que um de seus netos decidisse compartilhá-lo com toda a comunidade.

Ao que tudo indica, na sua migração para o Brasil, o esporte sofreu transformações de estrutura, mas as regras mantiveram-se basicamente as mesmas: a bola aumentou até o tamanho aproximado de uma de vôlei, o mastro de jogo ganhou altura e as raquetes, que antes faziam parte do jogo, foram dispensadas em favor das mãos. Em nosso país ele recebe em algumas regiões o apelido de “pipocão”.


A QUADRA
A quadra de jogo é feita por um círculo (normalmente de concreto) com aproximadamente 2 metros de diâmetro, dividido em duas ou quatro partes iguais.

O POSTE
O poste é normalmente feito de ferro, aço ou madeira. O mesmo fica fincado no chão bem no centro do círculo com aproximadamente 4,5 metros acima do solo.
A CORDA
corda que vai amarrada no topo do posto e que serve para pendurar a bola, tem um comprimento de aproximadamente 3,5 metros, ou seja, a mesma deve ficar a 1 metro acima do solo.

 A BOLA
A bola oficial possui um formato de um pingo de água e fica dentro de uma rede amarrada a uma corda. Existem bolas oficiais de espirobol como a citada acima, porém, o jogo pode ser praticado com por outros modelos de bola como mais leves de outras modalidades, afinal, este é um esporte que serve mais para a diversão.

AS REGRAS DO JOGO

O espirobol pode ser jogado individualmente ou em duplas. No individual, cada jogador deve permanecer na sua metade. No jogo de duplas, os jogadores são intercalados em quatro partes iguais dentro do círculo, ou seja, as duplas ficam em quartos opostos do círculo.
O objetivo do jogo é enrolar as bola no poste através de socos ou tapas, uma vez que a bola tenha atravessado para a metade adversária, ela não pode mais ser tocada até que volte ao seu lado.
Cada dupla ou jogador possui um sentido para enrolar a bola e é dever da dupla ou jogador adversário desenrolar no sentido contrário da outra equipe e enrolar no seu próprio sentido, ou seja, uma equipe enrola no sentido horário e a outra no sentido anti-horário.
A partida começa com uma das duplas ou jogador jogando a bola para que o adversário possa dar o primeiro tapa ou soco. O jogo termina quando a bola toca o poste, ou seja, quando não há mais corda a enrolar. A dupla ou jogador vencedor será aquele que conseguir enrolar a bola no seu sentido.


AS INFRAÇÕES: 
Abaixo veremos o que não é permitido numa partida de espirobol.
- Jogar a bola e dar o primeiro soco não é permitido;
- Segurar a bola ou o poste não é permitido;
- Não é permitido o uso das duas mãos. O início da partida ou o soco deve ser dado somente com uma das mãos;
- Não é permitida a invasão da metade adversária;
- Se encostar na corda, perde duas voltas já dadas no poste, ou enrola mais duas para o adversário;
- A invasão também faz a equipe perder duas voltas na jogada;

- A dupla ou jogador que cometer uma infração deve jogar a bola para o adversário reiniciar a partida.


quarta-feira, 7 de junho de 2017

SOCIALIZANDO O GÊNERO LITERÁRIO "POESIA"



A professora de Língua Portuguesa Lucimar Maria Rita, proporcionou aos alunos das turmas do 6º02, 6º03, 7º01, 7º02, 7º03, 8º01, 9º01 e 9º02 um momento para socializar o trabalho realizado com o gênero literário poesia. Na aula de biblioteca semanal, dia 19 de maio, os alunos declamaram poesias para seus colegas, professora, auxiliares de biblioteca... A diretora da escola Ligia Helena Braun e a coordenadora pedagógica do 6º ao 9º ano Marcia Cristina de Paiva Silva prestigiaram 
as apresentações.


O trabalho realizado em sala de aula tinha os seguintes objetivos:
Ampliar o repertorio literário;
Exercitar a leitura e a compreensão textual;
Construir maior conhecimento sobre o gênero literário (poema);
Declamar poemas explorando os recursos existentes na oralidade e valorizar os sentimentos que o texto transmite;
Valorizar a entonação de voz;
Expressar-se melhor no grupo.
 


Poeta não somente o que escreve.
É aquele que sente a poesia, se extasia sensível ao achado de uma rima à autenticidade de um verso.”
Cora Coralina


segunda-feira, 5 de junho de 2017

PROJETO: APRENDENDO COM AS TRILHAS


Com o objetivo de ensinar os alunos de maneira lúdica as letras do alfabeto, os números, a contagem, sequência, regras e outros conteúdos do plano de curso do 1º ano, a professora Morgana Rozza Tasca está promovendo algumas atividades lúdicas com os alunos do 1º 01 e 1º 03.

Entre as atividades planejadas para o projeto está a criação de “jogo de percurso ou trilhas”.


E nos últimos dias a turma construiu jogos em equipes. Aprendendo a trabalhar em grupo, fazer combinados, ceder, desenhar,colorir, recortar e colar, registrar os algarismos em sequência. Assim, com o jogo pronto, chegou o momento mais esperado: o de jogar.

A turma já compreendeu as regras do jogo e fez desse momento uma vivência muito agradável e prazerosa.
(Texto e informações: professora Morgana).

1º ANO SOCIALIZANDO VIVÊNCIAS

O aluno Renan do 1º ano trouxe para a escola 2 pinhas para os amigos conhecer e descobrir de onde vem o pinhão que compramos no supermercado e verdureira.


Diante disso, as professoras Morgana Rozza Tasca e Jenny Isabel Bertoldi Diel propuseram um momento especial no pátio da escola.


Com objetivos de conhecer uma pinha, fazer estimativa de quantos pinhões tem a pinha, “abrir” a pinha, separar o pinhão “bom” do “falhado” e fazer a contagem coletiva dos pinhões.





Ainda, a professora Jenny explicou sobre a origem, plantio e cultivo das araucárias e colheita dos pinhões.


Ressaltamos que a vivência foi bem significativa e divertida para os alunos de 1º ano. A grande maioria das crianças nunca haviam visto e/ou tocado uma pinha.

Parabéns, as professoras Morgana e Jenny.


(Texto e informações: professoras Morgana e Jenny).